Pages

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Passageiro de mim.

Agora estou aqui, sentado de frente para esses papéis que formam um quebra-cabeça de minhas palavras. Não são muitos, não são poucos; mas são meus papéis. Juntos, formam o DNA de minha alma literária, tão defeituosa, como carregada de vícios de linguagem; só que repleto de uma verdade buscada na alma, como um número de um código de barra único e determinador.

Por alguns momentos duvido de minhas próprias linhas, não creio no que se constrói e se reconstrói à minha revelia. Nesses momentos, viro um passageiro do meu próprio texto, sei qual o destino ele irá tomar, mas sou incapaz de controlar o trajeto que ele faz. E, como um mero observador de minhas idéias, vou acompanhando cada construção de pensamento pelas linhas que se sucedem, assim como um girassol segue o Sol em seu movimento.

Ao fim da jornada, fico imaginando que aqui ou ali o texto poderia ser modificado, enriquecido com outras palavras e idéias que ficaram a deriva. Mas, como afirmei, não tenho a força de mudar o sinuoso trajeto dessa construção.

Mais uma vez leio todo seu conteúdo antes de descobrir o título a ser colocado - pois título não se escolhe, ele já existe e só precisa ser desvendado. Pronto, agora já está terminado. Vou assinar meu nome aqui embaixo, antes que eu descubra que essas linhas já não são mais minhas, pois sou apenas um canal entre os mundos das letras e o papel em branco.

Carlinhos Horta.


(Imagem retirada do site:http://www.baixaki.com.br/imagens/wpapers/BXK1271_tremCuritibaMorretes800.jpg).

11 comentários:

portalmeira.com disse...

O texto é mais metalinguistico do que propriamente uma historia ou conto, mas ainda sim é precioso pois demonstra a veia poética do autor e uma progressao de raciocinio bem cativante.
-
www.portalmeira.com

Rogerio Lima disse...

Nossa!!! Texto bem produzido, idéias realistas, às vezes fico em frente a folha do meu caderno tentando escrever algum Poema, mas em alguns fico em dúvida se realmente ficou bem!!! O teu está otimo!!!

http://poemasgoticos.blog.oi.com.br

Leandro de Souza disse...

texto criativo com um pitada de descoper
bem interesante nao é visto muito mais e muito bom

http://teoriadopensador.blogspot.com/2009/05/mudancas.html

Laís Dias disse...

O texto é lindo, e em uma coisa eu concordo - textos se escrevem por si só, logo não temos poder de mudá-los. Somos meros canais para escrevê-los.

Criador disse...

O texto e bem maneiro sim!!!
Ai amigo vc naum quer uma parceria com o meu blog naum?
se quiser ai plinibianchini@oi.com.br

Moniquetudybom disse...

"E, como um mero observador de minhas idéias, vou acompanhando cada construção de pensamento pelas linhas que se sucedem"
Acontece sempre comigo e por ultimo, também, escolho o título.
PS:Valeu pelo coment no meu blog.Expus porque precisava falar aquilo e não sabia como.Não quero amor, acho que é mal.

assis disse...

Já estava reclamando falta de novo texto. Valeu pela espera. Há muito não vejo uma metalinguagem tão bem aplicada.
Parabéns. continue assim.
meu abraço.

Rubem disse...

Olá Carlinhos.
Por incrível que possa parecer, esse sensação de impotência ao que se vai escrevendo, é simplesmente maravilhosa.
Belo texto. Inspiração, hein?
Um abraço.
www.terapiadecutuvelo.blogspot.com

Maju disse...

Muito bom o texto! Bem escrito, bem contado e sem sair da realidade, o que eu acho muito interessante! parabéns!

Fernanda, disse...

simplesmente perfeito!

sem palavras *_*

Brazileiro disse...

Parabens. Um texto muito bem elaborado e cheio de pluralismos. Enriquecedor.
Sucesso.
www.blogdobrazileiro.blogspot.com

Pessoas pelo mundo que passaram por aqui:

Total de visualizações de página

Facebook