Pages

terça-feira, 24 de junho de 2008

Dunga, Dunga!

Vocês imaginem aquela pessoa - recém saída dos bancos escolares - que entra numa empresa para trabalhar assumindo o cargo de gerente. Estranho, não? Pois bem, acho que é este o caso do Dunga, técnico da seleção (com letra minúscula mesmo, bem pequena). Ele sequer teve outra experiência na função e já assume o principal posto do futebol brasileiro.

É de assustar, pois vivemos uma época marcada pelo futebol/empresa, sério, comprometido com os resultados. Só se for em outro canto, né não? Se na nossa seleção (mais do Ricardo Teixeira e da Nike, especificamente) não há organização exemplar, imagine nos clubes?! Mas vamos deixar os times para outra ocasião, porque o rende um livro, na verdade.

O que se esperava do Dunga quando ele assumiu a Amarelinha era que, pelo menos, ele conseguisse passar para os jogadores a raça e a disposição que ele transmitia em sua época de boleiro. Lembremos que vínhamos de um fracasso na Copa de 2006, marcada por situações esdrúxulas, com jogadores acima do peso, festa nos treinos, entre outros absurdos.

Então o que se imaginava daquele ex-jogador que acabara de pegar a Seleção prometendo muito empenho? Imaginava - pelo menos eu imaginava isso - que viveríamos uma nova “Era Dunga” no comando. Se não se tratava de um exímio articulador tático, até por não ter outras experiências, esperava que nosso escrete transpirasse sangue nos jogos - no bom sentido, claro!

Mas que nada. Vieram os jogos, vieram os anos e nada! Entre um bom resultado (como a conquista da Copa América contra a Argentina, em 2007) e muitos ruins, a seleção nunca encantou com Dunga no comando. E o pior é que nem vontade nós demonstramos mais!

Estamos numa época que os jogadores jogam com uma falta de gana que dá raiva, um sono contagioso. A falta de criatividade é horrível? Claro que sim, mas a falta de vontade é imperdoável.

Aconselho ao Dunga (nosso estagiário que está sendo treinado pela Seleção) a reconhecer sua fragilidade e começar sua carreira como técnico em um clube do país. Sei que seria uma atitude praticamente impossível, pois teria que desmascarar a vaidade tão comum no meio, tirar a capa de prepotência e calçar as sandálias de uma pessoa humilde. Mas seria um gesto digno de aplausos.

Acredito que ele não fará isso. Então, meus amigos, vamos ter que agüentar todo este time de embrulhar o estômago durante as Olimpíadas. Medalha de ouro? Seria um terrível cala-boca!

Terímos nosso estagiário por mais longos - e sonolentos - anos.

Façam suas apostas!

5 comentários:

Pedro Tapajóz disse...

Não sei se teriamos um cala boca com a medalha de ouro, talvez uma sobrevida, porém, pequena para o Dunga... Medalha de ouro em Olimpiada é um grande fato, que o Brasil jamais conseguiu, mas será que o povo da tanta bola assim ? Acho que ninguém sairia nas ruas para comemorar e pucos irão acordar de madrugada para ver a seleção... Além disso, quatro dias depois da final Olimpica, temos um jogo DIFICÍLIMO contra o Chile em Santiago, se perdermos (não é nem um pouco improvável) cairemos para sexto pela primeira vez na história em eliminatorias... Aí eu acho que a chapa do Dunga, mesmo campeão Olimpico, esquenta de vez !!

Abração Carlinhos !!

Emilio Lanna disse...

É Carlinhos,
Quando a ficha dele cair (rs...) já estaremos na repescagem.
Os tempos sao outros. Se os clubes sao empresas, a seleção é uma vitrine pra vender e gerar dinheiro para os clubes.
É tao dificil se acostumar com as mudanças.
Pq o mundo gira, a roda gira... e a pomba...
Abraçao meu camarada!
Os textos estao cada vez melhores!

Anônimo disse...

É Carlinhos, o negócio tá feio.
Só acho que não temos a menor chance nessas Olimpíadas, então não correríamos o risco de um incompetente na seleção por mais tempo.
O que tá perigando mesmo é nossa classificação prá Copa.
Tá phoda!!!

Hugo disse...

Carlinhos, estava conversando com meu amigo Pillowcase Bitter ("Mordedor de Fronha", em inglês), mais conhecido como Emílio Lanna, e ele me disse algo muito verdadeiro: "Hugo, garanhão, maior sedutor da Terra, vendo esses jogos da Eurocopa fico com a impressão de que o futebol de nossa seleção é ultrapassado, morno e lento. Os campos da Europa, apesar de terem as mesmas dimensões dos daqui, têm uma distribuição melhor dos jogadores. O futebol lá é mais dinámico e rápido e isso é facilmente notável. Mesmo seleções fajutas como Turquia, Rússia e Croácia conseguem criar uma velocidade impressionante nas jogadas. A seleção brasileira parece que está desnutrida, desmotivada. Chega a ser vergonhoso, pois exatamente para corrigir isso que o Dunga foi chamado. Pra mim ele está no corredor da morte, é verdade que no dia anterior a sua execução haverá o direito a um banquete (Olimpíadas), mesmo assim mais cedo ou mais tarde ele será executado.

Emilio Lanna disse...

Só o Hugo pra inventar tamanha besteira.

Pessoas pelo mundo que passaram por aqui:

Total de visualizações de página

Facebook