Pages

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Meu pátio, minha história.

Os carros enfileirados são como lembranças do passado. Cada modelo é o representante de um tempo e suas histórias, sua data de fabricação é seu número de identidade. Aquele lá, o FUSCA marrom é o mais velho de todos, remete-se ao tempo da ditadura. Veja como em sua lataria e nos detalhes o tempo foi cruel, como sofreu o coitado...

Olhando mais adiante, encontramos uma velha relíquia, aquele MONZA VERMELHO com fita verde e amarela amarrada na antena. Ele, apesar da idade, transborda jovialidade e não se cansa de repetir, através do ronco do seu motor, que fez parte do movimento das DIRETAS!

A história vai mudando o design dos veículo. Eles ganham em tecnologia e em modernidades diversas. Vejam o ar esportivo daquele ESCORT XR3-amarelo-conversível, todo exibido ali em cima. Teve que modificar o motor depois de ficar “sem voz” de tanto repetir em alto e bom som: “É Tetraaaa....”, em 1994. Mas não há arrependimento, há 24 anos o Brasil não ganhava uma Copa do Mundo.

Mas os anos pós-Tetra parecem passar - covardemente - mais rápido. Mal pude curtir a primeira geração do GOL-BOLA e os filhos, netos e bisnetos desse sucesso de vendas já rodam modernos e fogosos pelas ruas. Só que meu pátio imaginário continua cheio de relíquias apossadas por mim nesse meu poder de sonho. Ainda há TEMPRAS, de um luxo definidor que marcou época; CORSAS e sua capacidade de manter-se na ativa; HONDAS, mais que luxo e rompedor de um passado pacífico para um presente avassalador.

Todos esse veículos, e suas respectivas épocas, são apenas uma construção histórica do período em que nasci, que acompanhei de fato os fatos, e que perdura até hoje, com toda essa vida agitada - que mal cabe em 24 horas.

Esse luxuoso (mais de lembranças pessoais que em valores) pátio não existe de verdade, não possuo esse poder financeiro de colecionar ícones de épocas que retrataram momentos marcantes. No entanto, em minha memória, cada peça desse museu tem valor inegociável. São relíquias que me formaram e me formam, tendo como único preço o tempo, que cobra caro e passa sem piedade.

(Imagem retirada do site: http://www.sunstartoys.com/uploads/image/4971.jpg)

9 comentários:

kikinhah disse...

De todos os carros antigos o mais bonitinho ainda é o fusca.
Acho ele lindinho, tunado então!!!
BjOs^^

Ton disse...

Pensando assim deveria pensar mais
na minha vida cara momento cada carro
nossa
ali como na suas palavras "no pátio enfileirado"
Isso me lembra no modo de brinquedos
os carros ali encima da minha cômoda da cama aquele fusca vermelho de coleção ali olhando pra mim e ver o tempo que nois ficávamos a tarde correndo pra lá e pra cá correndo correndo
Hehe
\o/
Sempre é bom ter nostálgica e ver a evolução dos carrinhos/carros parabéns pelo blog

Lucas Manoel disse...

Bom texto! lembra um pouco o Parnasianismo !

http://furdunconosemaforo.blogspot.com/
http://furdunconosemaforo.blogspot.com/
http://furdunconosemaforo.blogspot.com/

Emilio Lanna disse...

meu camarada... que bela descrição.
eu nunca fui muito de ligar pra carros, entao nao sei se posso ir concordando com as epocas. Ainda mais que minha mae sempre teve chevete... rs... entao eu poderia te dizer a cor do chevete q marcou a epoca... rs... mas uma coisa nesse belo texto é verdade. Na infancia as coisas são mais demarcadas... mais presentes... os ultimos 5 anos passaram tão rapido que nem deu pra perceber as mudanças no mundo. cada minuto um novo modelo de gol, corsas, etc... legal o texto. mto bom!

Anônimo disse...

Esse Escorte é lindo, mas minha preferencia mesmo é por Maverick, adoro um maveco, aquilo tinha um motor muito mau.

Saudades

Gabriel Ribeiro disse...

Eu aprendi a dirigir num opala que meu pai tinha. Era tão fudido o bixo que não pegava a 3a marcha. Tinha que pular da 2a pra 4a.

Uau, me senti tão velho com esse comentário haha.

Abraço!

Didi disse...

Se eu pudesse teria um pátio cheio de carros antigos. É maravilhoso, porém como diz o texto, não tenho um poder financeiro tão bom assim. Gosto de carros, porém não gosto de dirigir na cidade, só apenas em lugares sem trânsito...rsrs

Fábio Flora disse...

Por falar em carros antigos, há uma exposição de 200 no Forte de Copacaba, aqui no Rio. Abraços e sucesso com o blog!

Adriano Viana disse...

Nostalgia, tantos carros da hora ja fiseram, o fusca ainda e o mais notalgico!! Abraço

Pessoas pelo mundo que passaram por aqui:

Total de visualizações de página

Facebook