Pages

domingo, 1 de fevereiro de 2009

A grande crise mundial (Emílio Lanna).

Mais um vez abro espaço para o meu grande amigo Emílio Lanna (que já publicou um texto nesse blog, no dia 8 de julho de 2008):


Como leitor apaixonado de histórias em quadrinhos que sou, estou espantado com a grande CRISE mundial. Todos os dias nos telejornais e nas diversas páginas de notícias que acesso me deparo com esse termo: CRISE!


O que eu acho engraçado é que nas revistinhas de super-heróis esse termo é constantemente usado. Agora mesmo está rolando uma que se chama CONTAGEM REGRESSIVA PARA A CRISE FINAL. Se vocês olharem no Wikipedia (em inglês, desculpem-me: http://en.wikipedia.org/wiki/Crisis_(DC_Comics) ), verão que a crise é um assunto recorrente. Resumidamente, nas crises dos quadrinhos todo o universo é afetado, ficando os heróis enfraquecidos e muitas vezes desacreditados. Sim! Ao contrário do que vemos na TV, Super-homem, Batman e Mulher Maravilha também são julgados e acabam desacreditados, por exemplo, eles até passaram um ano inteiro sem dar as caras para “salvar o mundo das cáries”!


Mas onde quero chegar? Nos quadrinhos as crises acontecem sempre que as vendas das revistas estão em baixa. Sempre que as pessoas se cansam de ver tudo dando tão certo (afinal é ficção e o bem sempre vence o mal...) as vendas caem, ai os caras vão e descem o cacete nos Supers... E no mundo real? Eu não entendo bulhufas de economia, mas o que vejo é que a crise está afetando o mundo. Perdoem-me a minha ignorância, mas eu acho impossível entender essa economia atual. Como boatos podem interferir no meu emprego? Por que se um cara importante fala que tal investimento não pode ser rentável o mundo inteiro para de acessar aquele recurso? Por que chegamos a tal ponto de desespero? Milhares de pessoas estão sendo despedidas no mundo inteiro. Isso não forma um ciclo vicioso, no qual mais pessoas sem emprego geram menos renda no comércio, que gera menos renda nas indústrias? Pra onde foi todo o dinheiro que rola no mundo? Será que isso é história pra vender um novo modelo econômico? Tava todo mundo muito satisfeito com o anterior?


E tem mais, todo mundo fala da crise financeira, mas eu acho que o mundo está mergulhado em crise total. O site do jornal O Globo hoje tem um pequeno link para a notícia da guerra entre Israel e o povo Palestino. Essa guerra que se arrasta há milênios entre esses dois povos que se odeiam simplesmente porque não vivem sobre a regência de um mesmo deus. Quando isso vai acabar? Ontem à noite vi uma reportagem sobre as crianças fumando crack nas ruas do Rio de Janeiro. Diziam que 90% dos moradores de rua são viciados nessa droga. Aquelas pessoas que vivem diariamente entre nós e passam despercebidas e que, quando percebemos, alguns recebem trocados que virarão a “pedra da loucura”. E não para por ai. Tem toda a violência das cidades: o cara drogado matou 2 policiais em duas noites... Fez refém uma moça grávida e só não fez mais caca porque dormiu depois de três dias cometendo crimes sem parar. Tem as milícias que tomam dinheiro e tornam a população escrava do medo, um cara com nome de Super (Batman) que aterroriza não os bandidos, mas a população... Tem bala perdida (ou melhor, encontrada), tem seqüestro que mata menina, tem seqüestro que mata pai, tem assassinato a sangue frio sem motivo nenhum... Tem justiça que não funciona... Isso tudo só no nosso país! Imaginem a África? Lá é terra de ninguém mesmo... Até pirataria andaram cometendo por lá. Prejuízos milionários para grandes transportadoras mundiais... Fome, miséria, cólera e outras doenças que já passaram por aqui... O continente onde surgiram os humanos (perdoem-me o evolucionismo) sofre de problemas sociais que o mundo vem acompanhando há séculos e não toma uma atitude... É como os nossos mendigos da cidade: de vez em quando recebem um trocado do primeiro mundo, que acha que está salvando aquele continente...


E por que o tema da crise? Nos quadrinhos a crise chega e muda tudo. Morrem alguns, outros sobrevivem. Cidades são arrasadas, mas depois tudo é reconstruído. As pessoas ficam mais esperançosas e o mundo se torna um lugar melhor... Será que quando a tal da CRISE do mundo real passar, o mundo será um lugar melhor? Será que os empregos serão retomados? Será que a miséria e a violência irão diminuir? Sei não...

(Emílio Lanna).

4 comentários:

Anônimo disse...

Sonia Schmorantz disse...

A porta da verdade estava aberta,
Mas só deixava passar
Meia pessoa de cada vez.
Assim não era possível atingir toda a verdade,
Porque a meia pessoa que entrava
Só trazia o perfil de meia verdade,
E a sua segunda metade
Voltava igualmente com meios perfis
E os meios perfis não coincidiam verdade...
Arrebentaram a porta.
Derrubaram a porta,
Chegaram ao lugar luminoso
Onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
Diferentes uma da outra.
Chegou-se a discutir qual
a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela
E carecia optar.
Cada um optou conforme
Seu capricho,
sua ilusão,
sua miopia.


Carlos Drummond de Andrade

Um abraço

Anônimo disse...

Ôi Sonia.
Ainda bem que você é inteira e não a meia verdade que ficamos sabendo.
Parabéns pela escolha do poema.
Rubem-terapiadecutuvelo.blogspot

André disse...

Se esperarmos alguma melhoria pós-crise só se acreditarmos em historias em quadrinhos mesmo.
É claro que tudo isso irá passar, a época de vacas magras é temporária, apesar de ainda não sabermos quando irá acabar, mesmo com o retorno da normalidade acredito que esta é uma crise que deixará sequelas, começando é claro pela grande potência mundial, Estados Unidos, que perderá boa parte de seu poder diante do mundo.

Carlinhos Horta disse...

É meu amigo Emílio, no quadrinho tudo é reconstruido. Pena que na vida real a crise chega e destrói - nada constrói.

Ficção e realidade se misturando? Mas poderíamos ter interferência nesse mundo que se forma. Será que temos?

Belo texto.

Um abraço>

Pessoas pelo mundo que passaram por aqui:

Total de visualizações de página

Facebook