Pages

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Das páginas dos livros...Realidade e ficção.

Hoje cedo acordei com um temporal batendo na janela. Era quase um chamado para o dia, um despertador natural. Olhei assustado ao meu redor e percebi que eu não estava em casa, aquele não era o meu quarto. Pensei em chamar alguém, mas era nítido que eu estava só.


Caminhei até a janela - buscando na memória um lugar como aquele - e, entre pingos e a cerração, pude avistar um lago meio sombrio logo ali. Era uma paisagem de um filme de suspense. Fiquei ainda mais confuso.


Tentei me recordar da noite anterior. Lembrei-me de ler, antes de dormir, três contos de suspense/mistério. E foi no meu quarto, tenho certeza . Tudo estava muito estranho....


Comecei a lembrar das histórias e, uma delas, tinha, como pano-de-fundo, um lugar muito semelhante ao que eu estava.


Nesse momento, entrei numa louca espiral entre a ficção e o real. Sabia que era a minha mente que aprontara aquilo tudo, mas, como sair desse lugar?


Não me lembrava do nome nem do autor do conto, e isso era o que menos importava. Afinal, eu estava ali e precisava acha um caminho. Ensaiei um beliscão, na ânsia de descobrir se tudo não era um sonho. Mas parei, aquilo era real! E agora?


Puxei uma cadeira e sentei de frente para a janela - a chuva continuava forte. Aos poucos o desenrolar da história do conto foi surgindo na minha mente. Só que, de maneira fabulosa, os personagens e o enredo foram se apresentando lá fora, na chuva, nítidos, verdadeiros.


Tornei-me um espectador do que lera à noite. Estava na platéia assistindo uma real dramatização, a poucos metros de mim.


Olhei mais de uma vez para trás, na tentativa de encontrar alguma resposta, mas nada havia modificado. Concentrei-me na apresentação, não podia perder esse momento: a ficção se concretizando no real.


Foi fantástico acompanhar cada detalhe, as horas se passaram e eu nem me mexi mais, vidrado com o que acontecia.


Com o fim do conto, os personagens me olharam com um ar de agradecimento - pareciam ter se libertado do limite das páginas do livro. Levantei-me e, enquanto aplaudia entusiasmado, eles sumiram por entre as árvores encharcadas.


Antes de me preocupar com o futuro (minha volta ao mundo real), imaginei como seria maravilhoso assistir a um outro espetáculo assim, saído de um livro para alguns metros de mim.


Fechei os olhos e iniciei uma busca da biografia do Nelson Rodrigues, "O Anjo Pornográfico", (já tina uma fila de livros para serem dramatizados na minha frente), com ótimas passagens e excelente contextualização histórica feita por Ruy Castro.


Enquanto a chuva apertava lá fora e as personagens pareciam se aproximar do lago, acordei assustado...


Estava no meu quarto, já eram nove horas e o Sol brilhava intensamente.

11 comentários:

Luiz Almeida disse...

Ja fiquei assim, bem, não bem assim, eu ja sonhei que tinha ficado com a guria que eu gosto muito, como era maravilhosa a sensação, pena que foi um sonho, e fiquei de cara tbm, pq é tão real, belo sonho esse!

http://casosdeformiga.blogspot.com/

REDE COMUNICAÇÃO disse...

Eh...realidade e ficção sempre se misturam

Feänor disse...

Agora tu bem sabes como é ser Destino, o portador do livro da Existência, em primeira mão.

Mas é isso, seu conto (ou relato...? não consigo me decidir) é um bom, retrato do que ocorre quando nos deixamos absorver por um livro: não somos mais um leitor, tornamo-nos expectador de uma bela peça que se desenrola ao toque (não digitei errado) de nossos olhos.

Um abraço!

Leonardo disse...

Também já sonhei com o livro que estava lendo....
Muito bom o texto!

Abraços!

a gerencia disse...

o q eh realidade?

HoneyBee disse...

Se envolver dessa forma com Nelson Rodrigues pode ser perigoso. Você pode não querer voltar para a realidade!

Man disse...

Muito bom o texto!!
Realmente tem livros que prendem agente na história, e vc pode ter a sensação de estar vendo os personagens bem perto, muito interessante.

Visite, Metal e Rock
http://brutalrock.blogspot.com/

Alma Póetica disse...

Sua história me fez lembrar do livro " O mundo de Sofia", aonde realidade e ficção se misturam...
Uma bela e construtiva hiustória, repleta de criatividade e que nos prende até o final!
Parabéns!

Gabriel Lopes disse...

ae fera,seu blog é muito bom.Pelo menos bate com os assuntos que eu gosto.Ahh em relação a enquete,lógico que o Zero "gerreiro dos gramados" vai leva esse brasileirão hehehe.

Gostei do post,ler realmente faz agnt viaja né cara?

abração pra vc kra e pra não perder o custume www.olhojunto.blogspot.com hehehe

Miss K disse...

noquando realidade e ficção se misturão realmente sente e assista, pq depois só nos resta sonhar!

Gabriel Lopes disse...

ae fera...passa lá no www.olhojunto.blogspot.com que eu indiquei seu blog pruma bagaça ae.Entra lá e confere ok?
abração!

Pessoas pelo mundo que passaram por aqui:

Total de visualizações de página

Facebook