Pages

terça-feira, 14 de abril de 2009

Brasileiro na Argentina (Rafael Horta).

Meu primo Rafael Horta viajou até a Argentina para acompanhar seu time na Libertadores: O Cruzeiro. Pedi que escrevesse algo sobre a viagem, e ele nos presenteou com esse texto com suas impressões sobre o país. Espero que curtem esse passeio brasileiro em Buenos Aires. E aguardo o comentário de todos. Valeu pelo texto, Rafa.

---------------------------------------------------

Conheço muitas cidades brasileiras. Belo Horizonte não entra em questão, vínculos afetivos me impedem de avaliar a posição da cidade. Diamantina é 'hors concours' e não entra em questão. Pelo meu ranking, meramente pessoal e obviamente levando outros fatores aqui que podem afetar minha escolha, como companhia nas viagens, período do ano, tempo de estadia... entre outros, Buenos Aires ficou em quinto lugar.

Rio, Fortaleza, Caraívas/BA e Floripa, pela ordem, ficaram a frente no meu gosto. Porém Recife, São Luis, Vitória, Santos, Teresópolis, São Paulo e muitos outras foram preteridas. Eu explico.

O clima: excelente clima, um dos melhores que conheci. Calor de dia, frio de noite, sem exagerar tanto em um como outro. Clima melhor só de BH, isso ninguém supera a gente!

Receptividade: Razoável. Em alguns restaurantes fomos bem atendidos como em São Paulo e Santos, em outros fomos tratados igual BH e em uns bares de Vitória. Parecendo que estávamos fazendo um favor em comer ali. Tentam tomar nosso dinheiro de qualquer forma, em um restaurante não queriam dar o desconte de 20% de um flyer, isso mesmo! 20%. Somos bobos não, brigamos e conseguimos! Táxi tenta dar volta, e tem gente na rua tentando levar a gente para boates de strip e lá dentro tomar nossa grana. Teve um caso desses na turma, um cara no primeiro dia, antes de todo mundo chegar, que entrou nessa e o segurança pegou até sua carteira.

Segurança: Melhor que das grandes cidades brasileiras (Rio, São Paulo, Santos, BH) mas nada comparável à São Luis, uma capital exemplar nesse aspecto. A noite e de madrugada saíamos andando dos lugares, mais de 10 quarteirões no centro. Não faria isso em BH. A polícia foi excelente e exemplar no jogo do Cruzeiro e horrível e despreparada no jogo do Boca (cidades diferentes: La Plata e Buenos Aires).

Pontos Turísticos: Fui no Porto Madeiro, La Bombonera (dia de jogo), Caminito (La Boca), Casa Rosa, Praça da República, Café Tortoni entre outros. Belos prédios, cultura bem rica e diferente da nossa. Faltam mais atrativos naturais (como o Rio, Floripa, Fortaleza) e belas praias (um dos
motivos para o quinto lugar), mas por outro lado tem meios de transporte excelentes: táxi muito barato, cerca de 30% do valor de BH, ônibus barato e que vai em todo lugar e passa com boa frequência, metrô que atende bem as necessidades (não andei). Além de um trânsito melhor que nas grandes cidades brasileiras.

Futebol: minha paixão, paixão deles também. Sempre falam de futebol. Sempre! Tem um respeito muito grande pelo Brasil. No estádio cantam coisas do tipo: "Maradona é, Maradona é, Maradona é melhor do que Pelé!" ou "(...) Brasileiros... filhos da p***!". Entre as curiosidades futebolísticas:
- 1 camisa do Flu (porque eliminaram o Boca);
- 1 camisa do Fla;
- 1 camisa do SP;
- 3 camisas do Atlético (estava cheio de Mineiros querendo fazer graça);
- Várias camisas do Grêmio, Inter e Cruzeiro (os times brasileiros mais conhecidos lá junto com São Paulo);
- Um taxista me perguntou: que time é esse "tal" de timão que o Ronaldo está jogando?;
- Eles tão com a Bolívia engasgada por causa do 6x0. Aproveitamos muito disso lá...rs;
- Um menino de rua nos viu com camisa do Cruzeiro e rindo muito falou:
Atlético, ano passado, Centenário "sem ter nada"!!!! (kkkk...pagou nossa viagem!);

Para quem é cruzeirense, dá muito orgulho ir na Argentina. Sinto que meu time é mais valorizado lá do que no restante do Brasil. Várias pessoas "zoaram" a gente por causa da derrota, mas aí falávamos: ainda somos os primeiros em nosso grupo! E respondiam: "Vero! Cruzeiro es mui fuerte (sic)" Chamam nosso time lá de "La Biesta Negra". Nunca tinha ido à um lugar que o Cruzeiro fosse mais conhecido do que Flamengo e Corinthians. Mandarei para vocês depois um texto sobre a ida ao jogo (que perdemos de 4x0 para o Estudiantes) e ao jogo do Boca no La Bombonera. Coisa de maluco!

Abração à todos!
Rafa

6 comentários:

Carlinhos Horta disse...

É pessoal, texto interessante esse do Rafa sobre sua passagem por Buenos Aires querida... Imagino que seja uma experiência maravilhosa curtir seu time num outro país. Mas, como não poderia deixar de ser, vou começar divergindo um pouco. Primeiro, antes de qualquer comparação, conheço poucos lugares além de minha cidade e mais alguns lugarejos dos rincões do Brasil.rs... Também sou de Bh, mas não há cidade com clima mais agradável que Teresópolis - é uma maravilha esse clima da Serra (aí vai, como sempre, uma visão pessoal, claro!). Gostei de todos os pontos abordados sobre Buenos Aires (um verdadeiro traçado turístico de lá) e sobre o futebol. Só para acrescentar, acredito que esse conhecimento dos Argentinos dos times citados reflete a participação - e o sucesso - dessas equipes na Libertadores. O (meu) Flamengo, por exemplo, ficou muitos anos sem disputar o torneio e só voltou nos dois últimos anos. Já o Corinthians, é reconhecidamente um time doméstico, sem tradição em torneios internacionais. E vale, claro, a provocada nos argentinos (que admiro pela raça e pelo espírito do povo na construção do país): Se não conhecem tão bem assim o Flamengo, fica o registro que somente a torcida do Fla é maior que toda a população da Argentina.rs... E dá-lhe Pele, hermanos.

Ótimo texto.
Abraços e comentem.

Rafa disse...

Só um incremento ao texto e ao comentário do Carlinhos: Indico a viagem! Vale a pena, os valores de passagens estão muito em conta (ainda mais com a concorrência TAM x GOL) e com o Real mais forte que o Peso argentino, as despesas lá são minimizadas: rango, hotel, passeios, transporte... Abração à todos!

Tchezar disse...

muito bacana, heim!
todos me falam bem de buenos aires! e essa coisa de saber valorizar o bom futebol, é coisa de cultura... aqui no brasil o nome vale mais do que a equipe... la fora eles apreciam bom futebol, independente de clube.
meu amigo foi para buenos aires uma vez e entrou num bar... havia foto de várias personalidades famosas, os melhores do mundo em cada categoria, e entre eles, estava Pelé. Ele achou estranho e perguntou para um Argentino como que eles colocam uma foto do Pelé ao invés do Maradona. A resposta foi: "Pelé é o Rei. Maradona é Deus! kkkk

Anônimo disse...

Olá Horta(s)
Mineiro num tem jeito. Em qualquer lugar que esteja vai sempre colocar as Minas Gerais na frente, né não?
Ces cunhece coisa mió qui nóis?
Um abraço.
Rubem
www.terapiadecutuvelo.blogspot.com

luiz disse...

legal o texto xeio d conteudo,
eu concordo com vc em partes
^^

se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/

blog disse...

Morei em BA por 4 anos. É uma cidade espetacular na qual o povo - cultíssimo - é bem superior ao brasileiro. Em todos os setores culturais.
Perdem no futebol, que, aliás, é a única coisa de que o brasileiro pode se orgulhar de ter mas qualidaeque o argentino. E as mulheres, claro.

Ipsis

Pessoas pelo mundo que passaram por aqui:

Total de visualizações de página

Facebook